terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Tudo vira música na vida de Amauri Andrade

A música está, desde sempre, na vida do porteiro Amauri Andrade, de 52 anos. O olindense que mora no bairro do Varadouro viveu a maior parte do tempo na Ilha do Maruim, onde recebia a influência musical de um vizinho, que também era seu padrinho de batismo. Hoje cantor e compositor, o artista também atua como porteiro do Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO), lugar no qual, ainda menino, recebeu as primeiras aulas teóricas e práticas daquilo que escolheu para se dedicar: a música.

São 28 anos de carreira, compondo músicas que acabaram sendo gravadas por artistas como Selma do Coco e Cláudio Brasil. Ele escreveu o hino da TCM Cabeça de Galo. Lançou um CD (Forró de Coco) e está, desde 2015, na produção do segundo álbum (Canto das Olinda). Para Amauri, o ritmo não importa quando o assunto é música, mas seu coração bate mais forte para aqueles que mais representam a multiculturalidade do Carnaval de Pernambuco.

Ciranda, Coco, Frevo, Ciranda, Maracatu, Afoxé. Todos esses ritmos já ganharam canções pelo artista. “Tenho cerca de 30 canções gravadas e outras muitas escritas em cadernos em casa. Vejo música em tudo, passo o dia olhando as coisas ao meu redor e pensando como podem se transformar em canções que exaltem a cultura popular. É uma terapia, um amor renovado a cada amanhecer”, contou Amauri Andrade.

Apesar de tanto amor e dedicação, não é fácil viver só da sua arte. Por isso, o olindense se divide entre as atividades artísticas e seu trabalho como porteiro. “Eu trabalhei por mais de 12 anos na Secretaria de Controle Urbano. Mas há cinco meses houve mais uma coincidência envolvendo a música e acabei vindo trabalhar como porteiro aqui no CEMO”, explicou Amauri.

Segundo ele, a oportunidade de trabalhar num lugar onde a música reina tem lhe ajudado a ficar cada vez mais estimulado a correr atrás dos seus sonhos: “As pessoas aqui colaboram muito. Entendem e respeitam meu trabalho como músico. Até fui convidado para me apresentar na confraternização de fim de ano”, orgulhou-se.


Imprensa Olinda

Marinha do Brasil abre processo seletivo para cerca de 490 vagas

A Marinha do Brasil começa 2018 com novidades: estão abertas, no período de 22 de janeiro a 12 de fevereiro, as inscrições para o Processo Seletivo do Serviço Militar Voluntário (SMV) para Praças Temporárias. Para se candidatar a uma das cerca de 490 vagas, é necessário ter Ensino Fundamental com curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) e nível Médio Técnico, em diversas áreas. 

Para participar, é necessário ter 18 anos completos e menos de 45 anos (até 31 de dezembro do ano da incorporação), ser brasileiro nato ou naturalizado, registro no órgão fiscalizador da profissão a que concorre, quando existir, dentre outras condições previstas no Aviso de Convocação. As oportunidades são para Marinheiros (Fundamental) e Cabos (Médio Técnico), com rendimentos brutos iniciais em torno de R$ 1.800 e R$ 3.100, respectivamente. 

Este ano, há vagas para Enfermagem, Patologia Clínica, Processamento de Dados, Eletrônica, Metalurgia, entre outras. Os aprovados em todas as etapas terão o tempo de serviço renovado anualmente podendo chegar até oito anos. 

Inscrição 

No ato da inscrição, o interessado deverá se candidatar a uma vaga em um dos Distritos Navais, já que o Processo Seletivo é regional e não nacional como acontece nos concursos de carreira. 
Para se inscrever é necessário acessar o site www.ingressonamarinha.mar.mil.br, clicar em “Serviço Militar Voluntário” no lado esquerdo do site e escolher o Distrito Naval correspondente a região desejada. A partir daí, poderá entrar no link da inscrição e o respectivo Aviso de Convocação. O valor da inscrição é de R$70,00. 


Fases do Processo Seletivo 

Os candidatos farão uma prova, com duração de três horas, com 50 questões objetivas divididas por Língua Portuguesa (25) e Formação Militar-Naval (25). A previsão é que a prova aconteça em 15 de abril de 2018. A bibliografia está indicada no próprio Aviso de Convocação. Após essa etapa, ainda haverá Verificação de Dados Biográficos, Inspeção de Saúde, Prova de Títulos (caráter classificatório), Verificação Documental, Designação à Incorporação e Incorporação. 

As informações completas estão nos Avisos de Convocação de cada Distrito Naval. 

Serviço 
Processo Seletivo para Serviço Militar Voluntário – Praças 
Site: www.ingressonamarinha.mar.mil.br 
Inscrição: 22/01/2018 a 12/02/2018 
Contatos de Assessoria de Comunicação Social da Marinha por Distritos:- https://www.marinha.mil.br/content/contatos


Marinha do Brasil

Olinda intensifica prevenção aos casos de hanseníase

Profissionais da Secretaria de Saúde de Olinda intensificam a partir desta quarta-feira (24.01) uma campanha de prevenção à hanseníase. Técnicos do programa de controle da doença na cidade irão percorrer as unidades para abordar o assunto e examinar pessoas com manchas suspeitas. O serviço começa pelos postos de Fragoso I e Vila Tamandaré, este último em Peixinhos. O atendimento será feito das 8 às 12h.

Os usuários das unidades irão receber panfletos educativos, acompanhar palestras e passar por consultas com enfermeiros e médicos. As pessoas que apresentarem manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou acastanhadas com perda de sensibilidade serão examinadas de forma criteriosa. Quem apresentar pele com essas características deve procurar o centro médico mais próximo de casa.

Em Olinda, os setores de referência para tratamento da doença ficam na Policlínica Barros Barreto, na Rua Justino Gonçalves, s/n, no Carmo, com atendimento das 8 às 12h; e na Policlínica de São Benedito, na Rua das Dunas, s/n, em São Benedito, o funcionamento e das 12 às 17h.

Confira o calendário de ações:

24.01 – Unidades de saúde de Jardim Fragoso e Vila Tamandaré (Peixinhos);

25.01 – Unidade de Saúde da Vila Popular;

26.01 – Unidades de saúde de Beira Mangue I, II e III (Rio Doce); Ilha de Santana I e II (Jardim Atlântico) e 7.RO;

30.01 – Cohab/Peixinhos I, II e III e Alto da Mina;

31.01 – Unidade de Saúde do Varadouro I e II.


Imprensa Olinda

Loló pode provocar parada cardíaca


Durante o carnaval é comum o aumento do uso de algumas drogas. O loló está entre as mais usadas no período. Ele é um solvente usado como inalante, com diversos efeitos colaterais, que vão depender da quantidade usada pelo usuário, e que vai desde um pequeno zumbido até fortes alucinações. O efeito também é rápido, dura cerca de um minuto, o que leva o usuário a repetir diversas vezes a inalação. O uso do loló é proibido pelos vários relatos de parada cardíaca. “O uso excessivo da droga pode levar à morte”, afirma o médico Tomás Mesquita, cardiologista do Hospital Jayme da Fonte.

A droga tem preparo clandestino que mistura benzina, clorofórmio, éter e essência perfumada. É importante lembrar que todas são substâncias cancerígenas. Por seu efeito muito rápido, o loló parece inofensivo, mas ele destrói células do cérebro e acelera a frequência cardíaca, podendo chegar a 180 batimentos por minuto (bpm). No Brasil, o loló foi proibido pelos muitos relatos de parada cardíaca durante seu uso. O cardiologista explica que para os jovens entre 15 e 20 anos de idade, a frequência cardíaca normal é de 60 bpm chegando ao máximo de 90 bpm. “Uma frequência de 180 bpm é um sinal de alerta e perigo de morte. Há situações em que é possível atingir este número sem que isso represente um risco para a saúde, por exemplo, quando você está malhando. Porém, a situação é completamente diferente quando o corpo não está em atividade de preparação e sofre uma alteração repentina desta freqüência, podendo levar a parada cardíaca”, afirma Dr. Tomás.

Normalmente a droga é colocada na própria roupa e inalada pela boca ou nariz. Logo após a inalação, é comum a sensação de formigamento nas mãos e no rosto e um barulho nos ouvidos, acompanhados de uma grande sensação de felicidade, vontade de rir e alucinações. Após o efeito da droga, o saldo são náuseas, depressão, dores de cabeça e mal estar. O loló tem seu efeito potencializado quando é consumido juntamente com bebidas alcoólicas. O que geralmente acontece, já que é comum o consumo da droga durante grandes festas de rua, como o carnaval. “Engana-se quem pensa que o resultado do uso do loló fica apenas no mal estar. A droga tem efeitos muito mais devastadores no organismo. A recomendação é evitar a droga em qualquer hipótese”, finaliza o médico.

SERVIÇO:
Hospital Jayme da Fonte
Endereço: Rua das Pernambucanas, 167, Graças.
Fone: (81) 3416.0000

UPA Olinda realiza testes rápidos de HIV e sífilis

Até o próximo dia 26, a Unidade de Pronto Atendimento Gregório Lourenço Bezerra, em Olinda, está realizando testes rápidos de HIV e sífilis para seus funcionários. A finalidade é ampliar o acesso a informações sobre a importância do diagnóstico precoce das doenças sexualmente transmissíveis e, dessa forma, repassar para usuários da unidade. A ação, promovida pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA e Educação Permanente, envolve também a distribuição de panfletos e de preservativos femininos e masculinos.


Com informações da jornalista Iana Gouveia

Sobrepeso preocupa planos de saúde



Pesquisa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que faz parte da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada esta semana, aponta o aumento da obesidade no Brasil entre 2008 a 2016. Para o cirurgião bariátrico pernambucano Walter França, o problema da obesidade é multifatorial e crescente em todo o País. 

Foram entrevistados 53 mil usuários de planos de saúde de todo Brasil, sendo 20 mil homens e 33 mil mulheres distribuídos em 26 capitais estaduais e no Distrito Federal. O estudo revelou que o crescimento de 41,6% aconteceu mesmo com a maior conscientização da população em relação a ingestão de frutas e verduras e a prática de atividades físicas. De acordo com o cirurgião bariátrico Walter França a obesidade é desencadeada por múltiplos fatores. “A violência urbana aliada a tecnologia colabora muito para o sedentarismo e, a ocidentalização no modo de se alimentar, com adesão aos fast foods, atreladas às recentes práticas comerciais de alimentos e bebidas clonadas serem mais acessíveis, levam as pessoas a consumirem de forma exagerada e acarretam o aumento de peso da população”, enfatiza. 

De acordo com a pesquisa, em 2008, 46,5% dos brasileiros tinham índice de Massa Corpórea (IMC) superior a 25 pontos. Essa parcela da população aumentou para 53,7% em 2017. Atualmente, 17,7% dos usuários de planos de saúde tem 30 pontos de IMC e estão obesas. Em 2008 essa parcela era de 12,5%. Os dados são assustadores pois a obesidade é uma doença crônica e que traz consigo inúmeras outras comorbidades como problemas cardiovasculares, câncer, depressão, hérnias, diabetes II, dermatites e dislipidemia (alteração do colesterol). Apnéia do sono, incontinência urinária ,disfunções hormonais e erétil nos homens, doenças articulares, apnéia do sono, doença do refluxo entre outros problemas. 

Segundo Walter França, como qualquer outra cirurgia, a bariátrica tem riscos, mas as doenças relacionadas ao excesso de peso, matam muito mais. “ O risco de óbito numa cirurgia bariátrica é de 0,3, já a obesidade mata 10 vezes mais”, relata o profissional. Atualmente o método mais utilizado é o Sleeve ou Gastrectomia Vertical, o estômago do paciente é grampeado em forma de tubo que vai do esôfago ao duodeno. Assim se reduz o estômago em até 80% do seu tamanho. O novo órgão fica com 150 ml a 250 ml e com forma parecida com um tubo gástrico Nessa redução se retira parte do fundo gástrico, região que produz o hormônio grelina, responsável pela sensação de fome. Após a cirurgia, o apetite diminui. 

SERVIÇO

Cirurgião Bariátrico Walter França 
(81) 3424.9796/ 3423.2772/ 3131.7887 

eSocial trará grande impacto na gestão de pessoal das empresas

O eSocial, sistema que começou a ser implantado este mês pelo Governo Federal para receber dos empregadores os dados referentes aos trabalhadores, causará grande impacto na gestão de pessoal das micros, pequenas e grandes empresas. Isso porque vai requerer alterações significativas, pois muitos processos serão revistos ou deixarão de existir.

Além disso, a adequação para atender às exigências do eSocial não é tarefa simples. Os desafios de implantação vão desde a necessidade de observação de prazos e regras, ao uso de programas específicos para a transmissão das informações.

Com o eSocial, as empresas precisarão de mais planejamento e controle, além de terem que prestar informações praticamente em tempo real sobre obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas. Dados como nascimento do filho do funcionário ou mudança de nome após o casamento, por exemplo, deverão ser informados. Além disso, deslizes comuns, como horas extras acima do limite de duas por dia e divisão de férias além do previsto em lei, poderão ser monitorados sem fiscalização presencial.

Com o objetivo de esclarecer os desdobramentos da implantação desse novo sistema, será realizado no Recife o seminário “O eSocial e as Mudanças na Prática Empresarial”. No evento, os especialistas Alberto Borges, da Lumi Consultoria, e Fabiana Soares, da Auditarh, profissionais do mercado envolvidos na preparação para a chegada desta nova obrigação, irão tirar dúvidas e apontar o riscos e oportunidades com os quais os empresários terão de lidar a partir deste ano. O seminário acontecerá na próxima quarta-feira, 24, no auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Matérial Elétrico – Simmepe.

O eSocial está sendo implantado em três etapas. Em janeiro iniciou a primeira etapa na qual apenas as empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais devem enviar apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador. As informações relativas aos trabalhadores só começam a ser enviadas a partir de março.

As demais empresas, incluindo microempresas, microempreendedores individuais (MEI) e pessoas físicas (que possuam empregados) entram na segunda etapa começando a utilizar o sistema a partir de julho. A terceira etapa, que começa em janeiro de 2019, está reservada para os órgãos públicos.


Encontro Simmepe: “O eSocial e as Mudanças na Prática Empresarial”
Dia: 24 de Janeiro de 2018
Hora: 18h30
Local: Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Matérial Elétrico – Simmepe
Rua Viscondessa do Livramento, 130 – Derby - Recife
Valor inscrição: R$ 50,00 – Gratuito para associados Simmepe, Abimaq e Renepe
Informações: 81. 98985 9862 – projetos@simmepe.org.br

Inscrições do SISU estão abertas

Estão abertas a partir desta terça (23) as inscrições para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) 2018, que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior para candidatos que realizaram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2017. O prazo vai até as 23h59 do dia 26 de janeiro. 


Nesta edição, o Sisu oferece 239.601 vagas em 130 instituições, entre universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais.

O Sisu é aberto duas vezes ao ano: uma no início do primeiro semestre e outra no início do segundo. O sistema é gerenciado pelo MEC (Ministério da Educação), mas os critérios de seleção para cada curso são determinados pelas próprias instituições de ensino.

Cronograma do Sisu: 
23/01 a 26/01 - período de inscrições 
29/01 - resultado da chamada regular 
29/01 a 07/02 - prazo para participar da lista de espera 
30/01 a 07/02 - matrícula da chamada regular 
09/02 - início da convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições de ensino 

Para esclarecer as principais dúvidas dos candidatos, o UOL conversou com Vicente de Paula Almeida Júnior, diretor de Políticas e Programas de Educação Superior do MEC.

Quem pode se inscrever no Sisu 2018?

Apenas candidatos que tenham realizado o Enem em 2017 e que não tenham zerado a prova de redação. Para participar, é preciso ter em mãos CPF, o número de inscrição e a senha cadastrada no sistema do Enem no ato da inscrição no exame. Caso tenha perdido ou esquecido a senha, é possível recuperá-la.

Qual é a pontuação mínima para se inscrever no Sisu?

Não existe uma média geral necessária para entrar no sistema do Sisu. No entanto, cada instituição pode estabelecer uma pontuação mínima em uma ou mais das quatro áreas avaliadas no Enem. As instituições também podem determinar diferentes pesos para cada uma das áreas, de acordo com cada curso.

É possível consultar se a instituição desejada exige ou não um desempenho mínimo em alguma das áreas no próprio site do Sisu.

O que é o bônus do Sisu?

As instituições de ensino podem atribuir pesos diferentes ou bônus para as notas do Enem 2017. É o caso, por exemplo, de universidades que aplicam um bônus de 10% sobre a nota do Enem para candidatos que vivem na mesma cidade da instituição. Os valores são estabelecidos por cada uma delas.

Como eu sei se tenho direito ao bônus ou não?

As regras de seleção aplicadas por cada instituição ficam disponíveis em seus editais, geralmente disponíveis no site dessas universidades. Além disso, o sistema do Sisu calcula automaticamente a nota do candidato de acordo com os pesos e bônus eventualmente aplicados pelas instituições.

O que é a nota de corte no Sisu? Como sei a nota de corte do meu curso?

A nota de corte é a menor pontuação que o candidato deve alcançar para ficar entre os potencialmente selecionados para um curso, considerando o número de vagas disponíveis e o desempenho dos demais candidatos. Ela é calculada diariamente durante o período de inscrição, sendo atualizada geralmente à meia-noite. Para saber a nota de corte do curso desejado, basta que o candidato acompanhe a página do Sisu.

Quantas opções de curso posso selecionar? Até quando posso trocar?

Cada candidato pode escolher até duas opções de vaga, que devem ser selecionadas por ordem de preferência. E ele pode alterar suas opções quantas vezes quiser até o fechamento das inscrições, às 23h59 do dia 26 de janeiro. O sistema vai considerar a última mudança feita pelo estudante até lá.

Posso me inscrever em dois cursos na mesma universidade?

Sim. Tanto dois cursos diferentes quanto cursos iguais, em turnos distintos. O candidato tem total liberdade para escolher as duas vagas a que tem direito de concorrer.

Como funciona a lista de espera? Quem entra nela?

A lista de espera existe para que sejam ocupadas as vagas que eventualmente não foram preenchidas na chamada regular. Podem entrar nela todos os candidatos que não tiverem sido selecionados para nenhuma vaga ou que tenham sido escolhidos apenas na segunda opção - mesmo que já tenham feito matrícula.

A participação na lista de espera, no entanto, não é automática –o candidato deve demonstrar interesse no site do Sisu.

Posso participar do Sisu e também do Prouni (Programa Universidade Para Todos)?

Com a nota do Enem, é possível participar do Sisu e posteriormente do Prouni, respeitando os prazos de cada programa. Neste ano, o Prouni, que oferece bolsas de estudo parciais ou integrais em instituições privadas de ensino, receberá inscrições de 6 a 9 de fevereiro.

Quais documentos preciso entregar se for aprovado no Sisu?

Caso seja convocado para matrícula, é responsabilidade do estudante procurar a relação de documentos necessários. Essa lista pode ser encontrada no site institucional da universidade em que o aluno foi aprovado.

O que faço se eu tiver algum problema técnico no site do Sisu?

Para problemas técnicos, a recomendação do MEC é que o candidato entre em contato através do telefone 0800 616161.

Portal UOL

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Atriz Desirée Vignolli morre aos 52 anos

A atriz Desirée Vignolli morreu neste domingo (21), no Rio de Janeiro, vítima de um infarto fulminante, aos 52 anos. Conhecida pelo trabalho em novelas como "Que rei sou eu?" (de 1989), ela foi casada com o ator Luís Gustavo, com quem teve uma filha, Jéssica. Desirée também era mãe de Antônio e Anna Camilla.

Filha de uma diplomata e de um advogado, ela nasceu em Nova York. Quando morava em Brasília, no início da adolescência, descobriu o gosto pelas artes cênicas.

Além de "Que rei sou eu?", a atriz participou de novelas como "De corpo e alma" (1992), em que interpretou Mércia, "Mico Preto", no papel de Lucilene, e "Jogo da Vida" (1982), como a Leninha.

Em seu perfil no Facebook foi postada a seguinte mensagem: "Rezem, amigos, por Desirée e lembrem-se dela por sua grandiosidade e amor". O enterro está marcado para a próxima quarta-feira.

Jornal Extra (Rio)

Livro infantil com famílias homoafetivas causa polêmica na Croácia

Um livro infantil se tornou alvo de organizações conservadoras na Croácia. Trata-se do “My Rainbow Family”, que à primeira vista se parece como uma obra qualquer, com ilustrações coloridas e poucos textos, mas tem suas peculiaridades. A primeira é que pode ser lido de trás para a frente, com duas histórias diferentes. E tem personagens pouco usuais em livros para essa faixa etária: uma menina com dois pais e um menino com duas mães.

Na casa da croata Zrinka Znidarcic, o “My Rainbow Family” se tornou um dos livros preferidos do pequeno Patrik, de dois anos.

— Sua reação foi de completa alegria. Ele olhou e disse imediatamente: isso é familiar — contou Zrinka, em entrevista à BBC.

É a primeira obra infantil a refletir a realidade de milhares de casais homoafetivos croatas que, como Zrinka, ainda são impedidos de se casarem, mas podem celebrar uniões civis.

— Nós estamos muito felizes — disse Zrinka. — Patrik escolhe os seus livros para a história de ninar. Desde que ganhou este, ele é sempre um dos seus favoritos. Nós não explicamos nada, ele apenas vê e diz: “eu quero ler um livro sobre mim, sobre a minha família”.

Mas o motivo de alegria na casa de Zrinka se tornou alvo de grupos conservadores apoiados pela Igreja Católica. Há cinco anos, eles forçaram um referendo que bloqueou os planos de governo de legalizar o casamento gay. Agora, o alvo é o “My Rainbow Family”.

Para a Vigilare, uma dessas organizações que têm como missão “promover a identidade original do casamento entre homem e mulher”, o livro é uma “propaganda homossexual”. Por isso, emitiram uma carta aberta ao Ministério da Educação, exigindo que o “My Rainbow Family” seja proibido nas escolas.

Para Senada Selo-Sabic, do Instituto para o Desenvolvimento e Relações Internacionais de Zagreb, a oposição ao livro infantil é apenas um sintoma do ressurgimento de forças conservadoras na Croácia desde que o país se juntou à União Europeia, há cinco anos.

— A Croácia cometeu um erro durante o processo de entrada na União Europeia — comentou a especialista. — Nós silenciamos e marginalizamos todos aqueles que não concordavam com este caminho. Os partidos políticos criaram a imagem de uma Croácia muito liberal, progressista e igualitária. Mas na realidade, era apenas um lado da história.

Agora, o país enfrenta o crescimento do nacionalismo extremista e até mesmo da negação do Holocausto. Uma placa com dizeres fascistas foi instalada perto do campo de concentração Jasenovac, da Segunda Guerra Mundial, onde ficou por quase um ano até ser removida pelas autoridades.

— Espero que a agitação do conservadorismo que vemos seja simplesmente uma reação ao período de silêncio ao qual foi sujeitado. E que isso vai acabar no futuro — disse Senada. — Caso contrário, estamos realmente condenados.

Já os editores do “My Rainbow Family” preferem ser mais otimistas, dizendo que as respostas positivas ao livro não se limitaram aos grupos de minorias.

— Quando fizemos o livro pela primeira vez, imprimimos apenas 500 cópias, porque pensamos que seria apenas para nós, nossos amigos e apoiadores. Mas desde que a história veio a público, tivemos muitos pais dizendo: “nós não somos LGBT, mas realmente queremos uma cópia para que possamos mostrar aos nossos filhos e discutir temas de igualdade, tolerância e diversidade” — disse Daniel Martinovic, cofundador do grupo de apoio Famílias Arco-Íris. — Talvez isso nos dê a esperança de mudança, para uma sociedade mais tolerante.


Jornal O Globo (Rio)

Adolescência agora vai até os 24 anos de idade, defende cientistas

Aquela fase odiada pela maioria das pessoas, a adolescência, ganhou uma sobrevida de cinco anos. Em vez de terminar aos 19, idade considerada na maioria dos países, um grupo de cientistas defende que a adolescência se estende dos 10 até os 24 anos.

O fato de jovens estarem optando por estudar por um período de tempo mais longo, não só até a faculdade, assim como a decisão cada vez mais frequente de adiar casamento e maternidade/paternidade, estariam mudando a percepção das pessoas de quando a vida adulta começa, dizem pesquisadores australianos em um artigo publicado nesta semana na revista científica Lancet Child & Adolescent Health.

Para eles, a redefinição da duração da adolescência seria essencial para assegurar que as leis que dizem respeito a esses jovens continuassem sendo asseguradas.

Outros especialistas, no entanto, dizem que postergar o fim da adolescência pode mais adiante infantilizar os jovens.

Puberdade

A duração da adolescência já chegou a ser alterada antes, quando se concluiu que, com os avanços da saúde e da nutrição, a puberdade iniciava antes do 14 anos, como se convencionava.

Essa fase tem início quando uma parte do cérebro, o hipotálamo, ativa as glândulas hipófise e gônadas, que, entre outras coisas, liberam hormônios sexuais.

Ela costumava acontecer por volta dos 14 anos, mas caiu gradualmente no mundo desenvolvido nas últimas décadas até o patamar de 10 anos.

Como consequência, em países industrializados como o Reino Unido a idade média para a primeira menstruação de uma garota caiu quatro anos nos últimos 150 anos.

Metade das mulheres agora fica menstruada pela primeira vez entre 12 e 13 anos.

A biologia também é usada como argumento por aqueles que defendem que a adolescência termina mais tarde - e que dizem, por exemplo, que o corpo continua a se desenvolver.

O cerébro continua se desenvolvendo depois dos 20 anos, trabalhando de maneira mais rápida e eficiente. E para muitos os dentes do siso não nascem até que complete 25 anos.

Adiando planos familiares

Os mais jovens também estão adiando o casamento e a maternidade/paternidade.

De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas do Reino Unidos, a idade média para o primeiro casamento de um homem era 32,5 anos em 2013 e de 30,6 para as mulheres na Inglaterra e no País de Gales. Isso significa um aumento de 8 anos desde 1973.

No artigo que explica os motivos para o aumento da duração da adolescência, Susan Sawyer, diretora do Centro para a Saúde do Adolescente do Hospital Royal Children's em Melbourne, na Austrália, escreve: "Apesar de muitos privilégios legais da vida adulta começarem aos 18 anos, a adoção das responsabilidades e do papel de adulto geralmente acontece mais tarde".

Ela diz que postergar o casamento, o momento de ter filhos e a independência financeira significa "semidependência", o que caracteriza que a adolescência foi estendida.

No Brasil, a permanência por cada vez mais tempo dos jovens na casa dos pais é uma marca da chamada "geração canguru", nome dado pelo IBGE em 2013 ao fenômeno que engloba pessoas de 25 a 34 anos e que vem crescendo no país. Os dados foram divulgados na Síntese de Indicadores Sociais - Uma análise das condições de vida da população brasileira, com dados referentes ao intervalo entre 2002 e 2012.

Mudança nas leis

Essa mudança, pondera Sawyer, precisa ser levada em consideração pelos políticos, para que as leis e benefícios voltados a esse público sejam alterados.

"Definições de idade são sempre arbitrárias, mas nossa atual definição de adolescência está excessivamente restrita", diz a cientista.

Russell Viner, presidente da associação Royal College de pediatria e saúde infantil, diz que no Reino Unido a idade média para um jovem sair de casa é 25 anos. Ele apoia a ideia de que a adolescência seja estendida até os 24 anos e diz que os serviços no Reino Unido já levam isso em conta.

Segundo ele, hoje as leis no Reino Unido consideram a idade de até 24 anos para o governo garantir a provisão de serviços para crianças e adolescentes que precisam de atendimento especial (seja por abandono ou outro motivo) e que têm necessidades especiais em termos educacionais.

Infantilizar os adultos

A socióloga da Universidade de Kent Jan Macvarish, que estuda paternidade, diz que há um perigo em estender o conceito de adolescência.

"Crianças mais velhas e jovens são moldados de maneira mais significativa pelas expectativas da sociedade sobre eles com o seu intrínseco crescimento biológico", ela diz.

"Não há nada necessariamente infantil em passar o início dos seus 20 anos no ensino superior ou tendo experiências no mundo do trabalho." E não deveríamos arriscar transformar o desejo deles por independência em uma patologia. "A sociedade deveria manter as expectativas mais altas em relação à geração seguinte", diz Macvarish.

Viner discorda dela e diz que ampliar a adolescência pode ser visto como dar poder aos jovens ao reconhecer as diferenças deles.

"Contanto que isso seja feito de uma posição de reconhecimento dos pontos fortes dos jovens e do potencial do desenvolvimento deles em vez de focar os problemas da adolescência."

BBC Brasil

OMS diz que campanha de vacinação pode limitar febre amarela no Brasil, mas aponta desafio logístico

A Organização Mundial da Saúde (OMS) avaliou nesta segunda-feira que a campanha de vacinação contra a febre amarela anunciada por autoridades brasileiras pode ser efetiva em limitar a disseminação da doença transmitida por um mosquito, ao mesmo tempo que apontou para os desafios logísticos envolvidos em um processo de vacinação em massa.

Em informativo sobre a doença no país, a OMS também afirmou que a quantidade de pessoas ainda não vacinadas que moram em áreas com ecossistema favorável à transmissão do vírus “representa um risco elevado para a mudança no padrão atual de transmissão”.

Atualmente circula no Brasil a versão silvestre do vírus da febre amarela, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes. A versão urbana da doença é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Neste momento, não existem registros no país da versão urbana da doença.

“Espera-se que a decisão das autoridades brasileiras de realizar uma campanha de vacinação em massa contra a febre amarela, incluindo doses padrão (0,5 ml) e fracionadas (0,1 ml), possa efetivamente limitar a transmissão da febre amarela”, disse a OMS em comunicado.

“É importante notar que, devido à sua escala e alcance, essa campanha de vacinação em massa provavelmente será caracterizada por desafios logísticos significativos”, acrescenta o comunicado.

Com o aumento de casos e de mortes provocadas pela doença, principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, a busca pela vacina tem aumentado significativamente, o que tem provocado longas filas e esperas em postos de saúde por pessoas tentando se vacinar.

Agência Reuters

Jânio de Freitas: Moro condenou Lula por 'ato de ofício indeterminado', ou seja, não existente

Em sua coluna neste domingo, Janio de Freitas critica duramente a condenação de Lula pelo juiz Sergio Moro e a condução do julgamento do recurso no TRF-4, em Porto Alegre. 

Confira abaixo alguns trechos do texto:

"A rigor, estarão em julgamento o réu Lula e a sentença de Moro, a ser julgada em seus possíveis erros e acertos. E nesse julgamento paralelo os três juízes federais se deparam com malabarismos dedutivos, justificativas gelatinosas e vazios que, para serem aceitos, exigiriam o mesmo do novo julgador.

O próprio julgamento pelo trio é uma atribuição problemática. A ser obedecida à risca a determinação legal, os casos do apartamento (julgado agora) e do sítio teriam tramitado e seriam julgados na região em que se localizam, São Paulo. A alegação artificiosa, por Moro, de que os dois casos relacionavam-se com as ilegalidades na Petrobras, levou o então relator Teori Zavascki a autorizar o deslocamento. Nem por isso a alegação ganhou legitimidade, porque a tal ligação com os fatos na Petrobras nunca se mostrou. O processo e o julgamento ficaram fora do lugar, e o recurso entrou no mesmo desvio, até o tribunal em Porto Alegre.

(...)

Moro e os dalagnóis não conseguiram encontrar sinais da interferência de Lula, quanto mais a ligação com o apartamento.

A saída com que Moro, na sentença a ser agora avaliada, pensa ultrapassar esse tipo de atoleiro é cômica: refere-se à tal interferência como "ato de ofício indeterminado". Indeterminado: desconhecido, não existente. Moro condenou por um ato que diz desconhecer, inexistir."

Com informações da Folha SP e Portal Brasil 247

Facebook admite que redes sociais podem ameaçar democracia

O Facebook admitiu nesta segunda-feira (22/01) que não pode oferecer garantias de que as redes sociais não representam um perigo para a democracia. A empresa, no entanto, afirmou que está fazendo de tudo para reduzir riscos de interferências em eleições.

"Apesar de ser um otimista, não ignoro os perigos que a internet pode provocar, mesmo no seio de uma democracia que funciona bem", disse o diretor de produto do Facebook Samidh Chakrabarti, num texto divulgado na rede social.

O Facebook é alvo de críticas por fazer pouco para impedir a propagação de notícias falsas, as chamadas fake news, na plataforma. O tema tornou-se uma questão global após as acusações de que a Rússia tentou desta maneira influenciar as eleições nos Estados Unidos, França e Reino Unido. Moscou nega as acusações.

Segundo Chakrabarti, o Facebook, que possui mais de 2 milhões de usuários, tem o dever moral de entender como sua tecnologia está sendo usada e o que deve ser feito para se tornar uma plataforma mais confiável possível.

O diretor admitiu também que a empresa demorou em perceber que "pessoas mal-intencionadas estavam utilizando a plataforma de maneira abusiva". Ele assegurou que o Facebook está trabalhando para neutralizar esses riscos.

Chakrabarti lamentou ainda a maneira como a plataforma foi usada durante as eleições americanas em 2016. O Facebook identificou 80 mil mensagens criadas por agentes russo que alcançaram 126 milhões de pessoas em dois anos.

Em um comunicado distinto, a encarregada das questões ligadas à política do grupo baseado na Califórnia, Katie Harbath, afirmou que a plataforma continua determina a combater as influências negativas e contribuir para o bem da democracia.

Recentemente, a empresa anunciou que dará prioridade aos conteúdos publicados por familiares e amigos em detrimento dos perfis de empresas, marcas ou meios de comunicação social. No início do ano, fundador e presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, reconheceu ter subestimado em 2016 o seu papel na propagação de informações falsas. 

Deustche Welle